Quando resolvemos visitar o Panamá, encontramos poucos artigos sobre os atrativos da cidade e a maioria dos posts eram: O que fazer na Cidade do Panamá durante uma conexão? Vale a pena fazer compras no Panamá? Mas o país rende mais do que uma visita rápida durante uma conexão e tem muito mais belezas do que o preço dos produtos encontrados nos shoppings. Por isso, nós do Nosso Mapa Mundi preparamos uma série de dicas imperdíveis sobre a capital e sobre um dos destinos mais bonitos do país, o arquipélago de San Blas.

A Cidade do Panamá é surpreendente. As construções são altas e modernas, as ruas são limpas e o centro histórico passa por renovação. Enfim, reúne tradição e modernidade. O principal atrativo, sem dúvida, é o seu canal. Inaugurado em 1914, é uma das obras mais importantes do mundo, pois permite a comunicação entre os oceanos Atlântico e Pacífico e facilita o comércio entre Ásia e Europa passando pela América. Mas existem outros motivos para visitar a capital do país.

image1
Vista da Cidade do Panamá a partir do Paseo de las Bóvedas –  Casco Antiguo

A cidade é basicamente dividida em duas áreas de interesse turístico: uma delas é onde encontramos a parte da cidade mais moderna, com avenidas largas, hotéis e restaurantes de luxo.

NossoMapaMundi_CidadeDoPanama_CascoAntiguo
Rua do Casco Antiguo

A outra área é o Casco Antiguo, ou Centro Histórico. Existe um projeto de revitalização dessa área, muitos casarões já foram restaurados ou estão para ser. É comum encontrar hotéis, bares e restaurantes instalados nesses espaços. Por ser bastante turístico e ser onde está localizada a sede do governo, o policiamento é reforçado, tornando essa uma área bastante segura. Mas fique sempre esperto, ok?! O casco faz divisa com uma região mais pobre e perigosa. Fique sempre na área mais próxima do mar.

Apesar de “antiga”, essa região foi o segundo ponto de assentamento do que viria a se tornar a capital do país. A área da “primeira cidade” é chamada hoje de Panamá Viejo, da qual restam apenas algumas ruínas. Essa parte da cidade foi fundada em 1519, sendo totalmente destruída em 1671, quando foi abandonada depois de um grande ataque de piratas sob o comando do famoso inglês Henry Morgan.

Crédito: Amanda Borges
Ruínas de Panamá Viejo

Onde se hospedar na Cidade do Panamá

Os hotéis no Panamá são muito baratos se comparados a outros países e até mesmo a lugares do Brasil. A maioria dos hotéis oferecem uma ótima estrutura e com preço bem acessível.

Ficamos no hotel Ramada Plaza Panama Punta Pacifica, supermoderno e localizado bem perto do shopping Multiplaza Pacífico (o melhor shopping da cidade, apesar de não ser, necessariamente, o mais barato). A relação custo-benefício é ótima, já que há vários bares e restaurantes na proximidade e o hotel fica no meio do caminho entre o Casco Antiguo e Panamá Viejo.

Se hospedar nas proximidades da Avenida Balboa ou nos arredores do shopping Multiplaza Pacífico é uma boa opção, porque você estará mais perto de restaurantes, lojas, bares e terá fácil acesso aos pontos turísticos.

Outra opção, muito escolhida por turistas, é se hospedar no Casco Viejo. Há uma boa oferta de hospedagens por lá, desde hostels, hotéis 5 estrelas e hotéis boutique. É a parte mais balada da cidade. De dia, encontramos muitos turistas e, à noite, vários bares e danceterias agitam o lugar, que atrai também a população local.

Clima – quando ir?

As temperaturas são altas e constantes durante todo o ano, porém, devido ao clima tropical, chove muito. Por isso, a época mais recomenda vai de dezembro a abril – a estação seca.

Moeda

A moeda oficial se chama Balboa (PAB), mas é equivalente ao Dólar Americano (USD). Um fato engraçado é que em alguns lugares, ou no pagamento de passeios, só aceitaram a moeda americana. De vez em quando, recebemos moedas Balboa como troco.

1 dólar = 1 balboa

Documentação

O país não existe visto, mas exige passaporte e o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela.

Compras

Por ser considerado um paraíso de compras, deixamos um dia inteiro para isso. No entanto, não achamos nada que realmente valesse a pena. Todas as lojas de marcas famosas têm lojas nos shoppings, mas com o dólar alto não achamos vantagens.

Albrook: Lemos em vários lugares que esse era o melhor shopping, porque tinha tanto lojas das marcas populares quanto das de luxo. Não sei se nossa expectativa estava alta demais, mas foi uma grande frustração. O shopping é grande, é verdade, mas com muitas lojas populares demais (e produtos feios e de má qualidade). Por causa do dólar caro, as lojas de marcas famosas estavam proibitivas.

Multiplaza Pacífico: Ao contrário do Albrook, o Multiplaza nos pareceu muito mais luxuoso, mas é um dos mais interessantes. Possui todas as lojas e não fica tão cheio se comparado aos outros shoppings. É muito mais agradável de caminhar, além de ter uma praça de alimentação melhor também.

Multicentro: Essa galeria fica ao lado do Hard Rock Hotel, no final (ou início) da Avenida Balboa. E é só uma galeria mesmo, com opções bem fracas de lojas.

Transporte

Utilizamos o Uber para todos os nossos deslocamentos e recomendamos. É seguro, baratíssimo e conseguimos nos locomover por toda a cidade tanto durante o dia quanto à noite. Só fiquem espertos: os carros no Panamá não têm placa na frente e se você – como nós duas – não conhece de carro, descubra, pelo menos, como é o logotipo das marcas. Os motoristas não esperam por vocês, aconteceu algumas vezes deles passarem direto e irem embora! Haha

Não indico pegar táxi no Panamá, pois não há taxímetro. Geralmente, fazem um preço tabelado para os pontos turísticos. Também achamos um pouco estranho a abordagem dos motoristas, que, se te veem andando na rua, gritam oferecendo táxi.

Há dois tipos de ônibus na cidade: o Metrobus e os diablos rojos.

Metrobus – meio de transporte seguro e moderno, mas não aceita dinheiro. É necessário comprar um cartão (tarjeta) para utilizá-los. Você pode comprá-lo em diversos locais, como em centros de informação turística ou em guichês na própria estação de metrô. O custo do cartão é de US$ 2,00 e as passagens custam menos de US$ 0,50 cada.

Diablos rojos são os tradicionais ônibus panamenho, são pintados das mais variadas formais e aceitam dinheiro.

NossoMapaMundi_CidadeDoPanama_ArcoChato
Arco Chato, no Casco Antiguo

O que fazer?

Casco Antiguo: O centro histórico é pequeno, porém charmoso. Tem ruelas, praças simpáticas e construções históricas coloridas e restauradas. Nas últimas décadas, a região vem sendo revitalizada, principalmente depois de ser considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, em 1997. Vale a pena visitar durante o dia, mas também à noite, quando a região fica agitada com vários bares, restaurantes e danceterias.

Dica de roteiro: da Calle 11, descer a Avenida B em direção ao mar até a Plaza Simón Bolívar. Em seguida, ir até o Teatro Nacional, e voltar até a Plaza de la Independencia, onde fica a Basílica Metropolitana de Santa María la Antigua.  Subir a Avenida Central até a Calle 9 Este, virar à esquerda até a Plaza Tomás Herrera. Descer a Avenida A (a mais bonita e onde fica o Arco Chato) até a Calle 2 Este. No final dessa rua, fica o Paseo de las Bóvedas, com sua bela vista do skyline da Cidade do Panamá, carramanchão de flores e vendinhas de produtos locais.

 

Recomendamos:

Pips: É o Café do Hotel Casa Antigua. Servem café da manhã, almoço e janta.

O almoço estava muito bom, com opções de peixe, frango e carne

Endereço: Calle 9 entre Ave. Eloy Alfaro y Ave. B

 

La Rana Dorada: É um pub que produz cerveja artesanal. Ambiente bem descolado, com boa decoração.

Endereço: Calle 9 Este com Calle B (eles também têm pub na Vía Argentina nº 20)

NossoMapaMundi_CidadeDoPanama_LaRanaDorada

Panamá Viejo: 

O lado realmente antigo da Cidade do Panamá não é o Casco Antiguo, mas sim onde estão as ruínas de Panamá Viejo. Panamá Viejo é a primeira cidade fundada pelos colonizadores europeus na costa americana do Pacífico, em 1519, e abandonada na segunda metade do Século 17, quando um ataque do pirata inglês Henry Morgan levou a transferirem a capital para onde é hoje Casco Antiguo). É um lugar fácil de chegar, bem próximo aos bairros turísticos. Em uma manhã você faz esse passeio. Recomendamos!

Valor da entrada: U$S15 (estudantes com carteirinha pagam meia)

Horário de funcionamento: 8h30min às 16h30min, de terça a domingo

 

Causeway (Calzada de Amador): A Avenida, construída em 1913 pelo governo do EUA com material retirado da construção do Canal do Panamá, liga as Ilhas Naos, Culebra, Perico e Flamenco. O aterro foi feito para servir de “quebra ondas”, uma vez que essas ilhas estão localizadas na entrada do Canal. Recentemente, o local foi revitalizado e tornou-se uma ótima opção para caminhar, andar de bicicleta e apreciar a vista muito bonita do mar e dos navios que trafegam pelo canal, além do skyline da cidade.

image5
Calzada de Amador (Causeway)

Também no Causeway, há o Biomuseo, um museu que tem uma arquitetura bem colorida e que conta como a construção do Panamá impactou na vida do planeta. Fica entre o Canal do Panamá e Causeway.

Biomuseu
Biomuseo, localizado na Calzada de Amador (Causeway)

 

Mapa de links:

San Blas: uma ilha para cada dia do ano

 

 

Anúncios

Um comentário em “Panamá, muito mais que uma conexão em sua viagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s