Sempre tivemos muita curiosidade em conhecer a ilha que ficou isolada no Caribe depois da Revolução. Preparamos nossas malas e desembarcamos em Cuba em janeiro de 2018, não sem antes termos várias dúvidas. Para ajudar os próximos viajantes, nós do Nosso Mapa Mundi preparamos um guia com as principais informações para quem estiver organizando uma ida à ilha de Fidel.

Preciso de visto para Cuba?

Sim! Brasileiros precisam de visto para entrar em Cuba, mas ele (lê-se um papel que você vai preencher à mão com informações básicas suas) pode ser comprado por 20 dólares no guichê da companhia aérea com a qual você voar para lá. Não precisa se preocupar em comprar com antecedência, a venda é feita no momento do check in/ despacho de bagagem.

O visto de turista permite que você fique no país por até 30 dias, prorrogável, junto às autoridades cubanas, por mais 30 dias. Caso queira tirar o visto no Brasil, há consulados-gerais cubanos nas cidades de Manaus, Salvador, São Paulo e Brasília.

Mais informações no site do Itamaraty.

NossoMapaMundi_Pesoconvertivelcubano_CUC

Qual moeda devo levar para Cuba?

Existem duas moedas correntes em Cuba: o peso cubano (CUP) e o peso conversível, utilizado pelos turistas (CUC, lê-se cê-u-cê). Não é possível comprar CUC no Brasil. Você vai ter que fazer o câmbio em Cuba (lembre-se: é preciso apresentar o seu passaporte). E a maior dúvida que tivemos antes de ir era: devo levar euro ou dólar para Cuba?

Euro!! Apesar da moeda europeia ser mais cara para nós, brasileiros, ela ainda vale mais a pena que o dólar, pois toda a conversão de dólar para CUC é taxada em 10%. Se você quiser comprar 500 CUCs, por exemplo, vai precisar de 400 Euros ou 450 dólares.

A conta é a seguinte:

1 CUC = 1 US$ (o câmbio é fixo) – 10% = 0,90 US$

1 CUC = 0,80 Euros (o câmbio é variável, ou seja, quando você for pode estar valendo um pouco mais ou menos)

Para acompanhar o valor do câmbio do euro, acesse o site do Banco Metropolitano.

Quando em Cuba, só troque dinheiro nas Cadecas (casas de câmbio) ou no Banco Metropolitano. Nossa dica é trocar o máximo de dinheiro no aeroporto, para evitar as filas das Cadecas da cidade. Além disso, caso vá para Varadero, prefira trocar o dinheiro em Havana, pois o câmbio nos resorts costuma ser mais caro.

No site da agência nacional de informações turísticas cubana (Infotur) você pode ver uma lista com os endereços de bancos e cadecas onde é possível fazer câmbio (“canje de monedas”) em Havana, Varadero, Trinidad, Santiago de Cuba e outras cidades.

Havana já tem caixas eletrônicos (que não usamos nenhuma vez), mas recomendamos levar todo o dinheiro que precisar para a viagem em espécie. O uso de cartão de crédito não é comum (não vimos em nenhum lugar).

Cuba exige vacina de Febre Amarela?

Sim! Cuba é um dos países que exigem a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela para todos os viajantes acima de 9 meses de idade.

A vacina contra febre amarela deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 dias antes da viagem. Excluindo algumas exceções, o certificado não é emitido nos centros de vacinação. Você precisa apresentar o seu comprovante de vacinação em um Centro de Orientação para a Saúde do Viajante da Anvisa (lista dos centros). Agilize o seu atendimento fazendo o cadastro online aqui (clicar na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”), dessa forma, ao chegar ao centro eles apenas vão imprimir o seu certificado.

Importante: O Certificado Internacional de Vacinação é emitido para pessoas que tomaram a dose inteira (única). Quem tiver tomado a dose fracionada deve tomar a vacina de novo. Segundo o site da Anvisa, as doses fracionadas só começaram a ser aplicadas em 2018, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, então se você tomou antes ou em outro estado, já pode tirar o Certificado Internacional. Para outras dúvidas, acesse a página da Saúde do Viajante, da Anvisa.

Como acessar a Internet em Cuba?

NossoMapaMundi_CartaoInternetCuba

Em Cuba, a internet está disponível somente em praças públicas e em alguns hotéis. E são poucas as praças! Para conectar-se é preciso comprar uma “tarjeta de internet” de 1h ou 5h. Cada tarjeta possui login e senha que serão solicitadas ao você conectar-se à rede de wifi.

Nossa dica é comprar o cartão de Internet assim que chegar. No aeroporto de Havana, elas são vendidas em uma loja de produtos telefônicos e custam 1CUC para a de 1h e 5CUC para a de 5h. As filas nas lojas são sempre longas e o atendimento é demorado, além do valor variar de acordo com a localização e a sua cara, aparentemente. Em nosso resort em Varadero, só havia cartões de 1h e eles custavam 1,50CUC. Em Trinidad, na mesma loja, venderam o de 1h por 1,50CUC para a Amanda e, no dia seguinte, por 1CUC para a Fernanda.

Uma curiosidade (que pode ser útil para calcular quantas “tarjetas de internet” você vai comprar): em 12 dias, usamos cerca de 10h de Internet cada uma. Poderíamos ter usado menos, mas tivemos a sorte (ou não?) de ficar em apartamentos próximos a praças com acesso a wifi em Havana e em Trinidad, o que fez com que nosso tempo online aumentasse. Logo percebemos que, quando tínhamos a possibilidade de acesso à Internet, nos conectávamos (ai, o vício!).

NossoMapaMundi_Cuba_transporte

Qual meio de transporte usar em Cuba?

Em Cuba, os táxis amarelos (em sua maioria novos) são operados pelo estado e são confiáveis. Sempre pergunte o valor antes de entrar, mas eles usam taxímetro. Os “coco taxis” também são operados pelo estado e funcionam de maneira semelhante.

Em Havana, os ônibus são L-O-T-A-D-O-S (e olha que estamos acostumadas com trem no Rio de Janeiro!). É possível aventurar-se em um, mas não vale a pena. Para o primeiro dia na capital, use o ônibus vermelho, estilo ‘hop in hop off”. Custa 10CUCs e você consegue rodar pelos principais pontos da cidade das 9h às 17h, mais ou menos. Caminhe muito, é a melhor forma de se locomover na cidade.

Existem duas modalidades de “carro antigo” em Cuba: os antigos-velhos funcionam como táxis coletivos para a população. Significa que você vai pagar bem menos do que por um táxi comum (a distância que percorríamos do apartamento em que ficamos, em Vedado, até Habana velha, ficava cerca de três vezes mais barata), mas pode ter que dividir o carro com outras pessoas que fazem sinal pela rua. Os antigos-renovados são voltados para os turistas, custam caro e normalmente são usados para fazerem trajetos com tempo determinado. Tenha em mente que os dois tipos podem quebrar no meio do caminho e, portanto, não valem a pena para fazer longas distâncias.

Para ir de uma cidade para a outra, use a companhia de ônibus Viazul. São modelos chineses não muito novos, mas os motoristas dirigem com cautela e são pontuais. As estradas em Cuba são surpreendente boas, com grandes trechos duplicados.

NossoMapaMundi_Cuba_Havana

Está preparando uma viagem para Cuba, mas tem dúvidas que não foram esclarecidas aqui? Pergunta para a gente nos comentários!

Mapa de links:

Roteiro de Havana – Dia 2

Roteiro de Havana – Dia 1
5 coisas que você precisa saber antes de ir para Cuba
Seis destinos pouco conhecidos – e imperdíveis – em Cuba
Onde ficar em Havana?
As cores de Trinidad

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s