Descrita por Cervantes como a “glória da Espanha”, Toledo pode ser um ótimo bate-e-volta para quem está em Madri ou parte de um roteiro para quem pretende conhecer a Espanha de carro. Aqui no Nosso Mapa Mundi, vou contar a minha experiência de um dia nessa bela cidade medieval, partindo da capital espanhola.

Localizada no alto de uma montanha, cercada em três lados pelo rio Tejo, Toledo carrega até hoje os ares medievais de sua origem, a aridez das paisagens que a cercam (eternizada por  Miguel de Cervantes em Dom Quixote da Mancha) e a riqueza cultural resultante do convívio de cristãos, muçulmanos e judeus ao longo da história.

Como chegar?

Apenas 70 Km separam Toledo da capital espanhola, o equivalente a apenas 30 minutos no trem rápido da Renfe, que sai da estação Atocha. Comprei minhas passagens de ida e volta no dia anterior a viagem na própria estação, mas também é possível comprar pelo site da Renfe.

Saindo da estação de trem de Toledo (em estilo mudéjar), existe um ponto de ônibus com opções que te levam até o centro da cidade por 2,50 euros. Existe também ônibus hop-on/hop-off, mas não opei por eles, pois prefiro visitar a cidade a pé. No entanto, para quem fizer questão de ter a foto clássica de Toledo, vista do mirante da cidade (Mirador del Valle), o ônibus turístico pode ser uma boa opção, já que o acesso ao local é por uma estrada.

O que fazer?

Toledo é o meu tipo de cidade! Perder-se por suas ruas já é um atrativo. Para aqueles que gostam de conhecer o máximo de atrações possíveis, Toledo também não deixa nada a perder. Tenho que reconhecer que não segui um plano muito “eficiente” para conhecer todas as atrações, mas começo minha lista pelos locais que considero imperdíveis.

Praça Zocodover

Se você escolher cegar à cidade de ônibus comum, a Praça Zocodover será seu ponto de partida para explorar Toledo. Fuja de seus restaurantes turísticos e lojas de mazipán ruins e desça a Calle Comercio até a Catedral de Toledo.

Nosso Mapa Mundi_Toledo_Praça Zocodover
Praça Zocodover

Catedral de Toledo

Construída ao longo de três séculos, a catedral da cidade mistura diferentes estilos arquitetônicos (gótico, barroco e renascentista) e impressiona pelo tamanho e riqueza de detalhes. Não bastassem as obras de arte que adornam as paredes e os mais de 750 vitrais, o que mais me surpreendeu foi o belíssimo altar Barroco El Transparente. Trata-se de uma fenda no teto, toda trabalhada com esculturas. A proposta é a de que, ao olhar para cima, você se sinta elevado ao céu. Religioso ou não, o que eu garanto é que você vai sair de lá com uma leve dor no pescoço: o El Transparente é hipnotizante de tão lindo.

Monasterio de San Juan de los Reyes

Construído no século 15 à mando de Isabel de Castela e Fernando de Aragão, os famosos Reis Católicos. O destaque da construção fica por conta do claustro. Com dois andares, é todo em estilo gótico, com toques de arquitetura mudéjar.

Mirador del Azor

Escondido pelo imponente Alcazar de Toledo, o Mirador del Azor acabou sendo um os meus lugares favoritos pelas andanças por Toledo. O local tinha poucos turistas quando eu fui, o que achei surpreendente.

Judería e ponte de San Martin

Saindo do mirador, sugiro percorrer as ruas do bairro judeu até a ponte de San Martin, construção medieval do século XIV. No caminho, se tiver tempo, visite o Museu del Greco, dedicado ao artista que viveu boa parte de sua vida em Toledo e cujos quadros podem ser encontrados em muitas das igrejas da cidade.

Para os mais aventureiros, essa parte do passeio pode terminar com uma tirolesa sobre o rio Tejo. A empresa Fly Toledo oferece a maior tirolesa urbana da Europa por apenas 10 euros, partindo da ponte de San Martin.

Iglesia de los Jesuitas 

Do alto de uma das torres da Igreja San Idelfonso Jesuítas, construção barroca finalizada no século XVII, é possível ter uma visão panorâmica de Toledo e seus arredores. Uma ótima forma de terminar a visita pela cidade!

Nosso Mapa Mundi_Toledo_Iglesia de los Jesuitas 
Iglesia de los Jesuitas

O que comer?

Em Toledo, não deixe de provar o mazapán, doce de origem árabe, preparado a partir de uma pasta feita de amêndoas moídas, açúcar e claras de ovos (nem preciso dizer que não deu tempo de fotografá-los, né? 😉). Uma dica: o mazapán da maior cafeteria da Praça Maior não é bom. Procure por lojas menores, onde o doce é feito de forma mais caseira.

Outro destaque culinário  são as carcamusas toledanas: guisado de carne de porco com molho de tomate e ervilhas, servidas com molho um pouco picante.

Clima: quando ir?

Como a cidade está localizada no alto de uma colina, durante o inverno, costuma ser mais fria que Madri. No verão, no entanto, pode ser bem quente. Em comum, ambas as estações são secas. Fui em janeiro e, apesar do frio, estava agradável para caminhar pelas ruas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s